maio 2012

You are currently browsing the monthly archive for maio 2012.

Mergulhado que está no ambiente de sua empresa, de seu negócio – e aqui “seu” não significa necessariamente propriedade – o camarada é instado, estimulado, obrigado a pensar no que a “firma” oferece ao cliente/consumidor. Muitas vezes, é forçado a estudar um monte de características do produto ou serviço. Aquilo torna-se a razão de sua vida. [ continua ]

Ainda tem gente por aí apaixonada, dedicada e talentosa trabalhando em publicidade. Gente que obtém resultados expressivos bem acima da média das campanhas que dominam o cenário. Gente que faz com que outros profissionais apaixonados – eu, inclusive – sinta orgulho de ser publicitário. [ continua ]

Tenho nas mãos o pé de uma pessoa querida. Sei, você pensou na mulher amada. Pode ser, mas não só. Decido ou sou solicitado a fazer uma massagem, com meu toque, do meu jeito. Não é reflexologia no sentido próprio. Não tenho o conhecimento técnico para isso. Tenho outro. Tenho o meu. [ continua ]

Tem as coisas legais e as coisas chatas. O que é chato pra você pode ser legal pra outra pessoa – e vice-versa. Mas tem coisas que todo mundo acha legais. E tem coisas que todo mundo acha chatas. [ continua ]

Ser multitarefa já foi cool, razão de status social e demonstração de juventude. Depois, ou quase ao mesmo tempo, tornou-se interessante profissionalmente (claro, qual patrão que não quer alguém que faça várias coisas pelo mesmo preço?). [ continua ]

O despertar

A cada linha que eu lia, se me acrescentava consciência. Algo em mim se desmanchava e reconstruía sem uma decisão muito clara para mim mesmo, naquela hora, mas assustadora e maravilhosamente nítida depois. [ continua ]

Caro leitor, o texto sobre Mestre Gaiarsa que normalmente é publicado às sextas-feiras será postado, excepcionalmente, durante o fim de semana. Obrigado pela compreensão.

Conselheiros de RH! Não canso de me surpreender com as sábias dicas dos conselheiros de RH! [ continua ]

Quando um publicitário quer muito convencer quem quer que seja – clientes, colegas ou uma audiência interessada – de que tem todas as respostas para todas as perguntas sobre um ou muitos temas referentes à profissão, só consigo pensar em uma coisa: medo. [ continua ]

A música não é só nota depois de nota, nem palavra depois de palavra. A música é, também, as notas e as palavras, mas é talvez muito mais a emoção de quem a canta. [ continua ]

« Older entries