março 2012

You are currently browsing the monthly archive for março 2012.

Contava eu ao Mestre uma aula de faculdade que dei inspirada em seus grupos: todos em círculo, um de cada vez vai ao centro e diz o que vê ao olhar para cada companheiro à sua volta. Eu conduzia o grupo, mas entrava na dança, tanto no círculo quanto no centro. [ continua ]

No início, Supernatural parecia uma tentativa de simplesmente imitar Arquivo X, até porque tinha gente da clássica série na produção. Casos sobrenaturais? Uma dupla de investigadores? Identidades do FBI? Um parente desaparecido? Os elementos pareciam similares demais. [ continua ]

Você entende inglês? Sim? Que bom! Não? Que pena!

Porque há coisas de Cyn que você só vai entender dominando inglês. Tem coisas de Cyn que você só vai captar a essência compreendendo-a falar na própria língua. [ continua ]

Fácil, fácil

Vou facilitar as coisas para você.

Dá para quase sintetizar em uma frase os conselhos de gerentes e consultores de RH sobre o que as empresas valorizam em atuais e possíveis funcionários. [ continua ]

Se há um aprendizado certo nas ideias de Mestre Gaiarsa é de que todos somos únicos e querer que sejamos iguais é preconceito e opressão. Veja lá, nos textos dele, e você há de concordar comigo que quase tudo que ele falou é no sentido da valorização do indivíduo e contra a tirania da uniformização coletiva. [ continua ]

Por que se você tomar aquele refrigerante líder em sua versão zero as coisas vão acontecer magicamente? O táxi dar cavalo de pau, o motociclista te oferecer uma carona, o limpador de janelas te levar na plataforma em que ele não pode levar ninguém, senão perde o emprego? [ continua ]

House era uma inspiração, o próprio retrato meio arquetípico do gênio. Inteligente, impaciente, dono de um talento exuberante, fora de escala, e pouco afeito às etiquetas sociais. Era uma motivação para os profissionais apaixonados e uma catarse para os inteligentes injustiçados. [ continua ]

João José, o JJ, conhecido e respeitado publicitário “sediado” em Curitiba, frequentemente elogia os meus posts e me repercute em seu antenadíssimo e bem-sucedido blog, pelo que fico profundamente grato e envaidecido. [ continua ]

Mestre Gaiarsa dizia que não defendia uma teoria, mas mostrava uma evidência. Ele estava certo (que surpresa, hein, leitor…). [ continua ]

Pipocam em vários veículos, especializados ou não, notícias sobre a “classe C”, a “nova classe média”, e como ela está revolucionando o consumo, a economia, a programação das TVs – e a publicidade. [ continua ]

« Older entries