janeiro 2012

You are currently browsing the monthly archive for janeiro 2012.

Uau… legal pra caramba!

É um filme. Uma propaganda. Tudo bem que foi ao ar já faz um tempinho. Mas nem sempre dá para falar de tudo “em cima da pinta”. E é legal pra caramba! Merece ser comentado. [ continua ]

Nuances

O que você procura? Dinheiro? Só isso? Suponho que o melhor caminho seja tornar-se um burocrata. A máxima “quem não tem competência não se estabelece” sempre me pareceu um engodo. A maioria das pessoas com poder e grana que conheço são executores de ações impessoais [ continua ]

Medo, surpresa e desejo podem surgir ao mesmo tempo quando uma proposta de algo muito gostoso aparece na vida de uma pessoa que leva uma vida muito restrita (ou nem tanto). [ continua ]

O fato ocorreu nos anos 90. Uma antiga chefe minha tentou vetar-me um bom texto porque ele se iniciava com a palavra “não”. Ela havia lido, ou ouvido falar, que dar visibilidade ao “não” cria uma predisposição negativa no público, prejudicando os resultados da campanha. [ continua ]

Cyn merece

Muitos dos “colegas” fãs de Cyndi Lauper direcionam o fato de gostar dela para o exercício da intolerância. Seja citando a já folclórica (e inexistente) “rixa” com Madonna, seja reagindo violentamente a qualquer discordância de gosto sobre algo que Cyndi tenha feito ou falado [ continua ]

Alguém convenceu os decisores de marketing que o consumidor se importa para valer com informações como quantas unidades uma marca de carros vende no mundo ou quantas vezes um modelo foi campeão de sua categoria. [ continua ]

Mestre Gaiarsa mostrou clara e insistentemente como nossos relacionamentos são padronizados, condicionados, restritivos e impostos. Somos pobres de amor. [ continua ]

Gente inteligente que admiro posta coisas extremamente agressivas sobre o BBB. Até violentas. De “baixo nível” para baixo. Há pessoas que se mostram indignadas não só pelos rumos do programa, mas pelos simples fato de ele existir. [ continua ]

Cabeça-durice é uma das coisas mais sofridas da publicidade. Em algum lugar, em algum momento, em algum job você vai ter de lidar com a cabeça-durice. Pode ser por parte do atendimento, do cliente e até – veja só – de um colega da criação. [ continua ]

Assim como o vídeo original, feito pelo pai daquela fofura, foi acessado milhões de vezes no Youtube, o comercial que mostra o fato deve ter sido comentado zilhões de vezes pela Internet afora. [ continua ]

« Older entries